quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Iron Maiden – The Final Frontier


Esse é o novo CD do Maiden. E que não traz muita novidade em relação ao seu antecessor. O A Matter of Life and Death. A sonoridade e os riffs continuam os mesmos. A única exceção é a musica El Dorado, que lembra o Maiden da década de 1980. Outra coisa que não mudou é que desde o álbum Virtual XI, as musicas passaram a ter mais de 5 minutos, e nesse álbum a escrita permanece. A capa do álbum, ao contrario de opiniões que andei lendo por ai, ficou muito boa. Alem da musica já citada, destaco ainda as faixas: Coming Home, The Alchemist e Isle of Avalon.

domingo, 26 de setembro de 2010

Maus



“Spiegelman retrata os nazistas como gatos, os judeus como ratos, os poloneses como porcos e os americanos como cães. Todos são terrivelmente humanos.”

Art Spiegelman é, o roteirista e desenhista dessa obra que relata o holocausto vivido pelos judeus na segunda grande guerra. Mas ao contrario das outras historias que já foram escritas a respeito, Spiegelman conta a historia baseada nos relatos de seu pai, Vladek Spiegelman. O mais divertido da HQ é, que Art conta como foi o processo de criação. Mostrando nas paginas como eram as visitas a seu pai para que ele pudesse relatar o que havia vivido. O álbum é muito bom. Ele é recomendado para quem nunca ouviu falar do holocausto (difícil isso) e, para aqueles que gostam de uma boa historia em quadrinhos.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

O Incrível Exercito de Brancaleone


Assim como o festival de Veneza, nós aqui do Planeta Alternativo Magazine resolvemos homenagear o grande ator italiano Vittorio Gassaman (1922-2000). Pois como dito no post sobre o festival, nesse ano (2010) está completando 10 anos da sua morte. Então vamos falar de um dos seus melhores trabalhos.

O Incrível Exercito de Brancaleone. Tudo começa em plena Itália do século XI, o cavaleiro Brancaleone (Vittorio Gassman), uma espécie de Don Quixote maltrapilho, forma um exercito de quatro miseráveis mortos de fome e parte em direção a um feudo a que julga ter direito. Durante o longo percurso pela Europa da Idade Media, no lombo de um pangaré chamado Aquilante (uma referencia ao Rocinante de Don Quixote), ele vai se defrontar com a peste negra, bruxas e bárbaros de todas as espécies, numa sátira demolidora dos conceitos de honra e coragem sobre os heróis medievais. Pra mim o melhor filme de comedia usando o tema medieval como roteiro principal. Ele é realmente muito hilário, vale muito a pena a assistir. E existe a continuação chamado de Brancaleone nas Cruzadas, também muito bom. Se você caro leitor nunca assistiu, vá atrás pois nos aqui do Planeta garantimos que você irá gostar muito.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Ozzy Osbourne – Scream


CD novo do Ozzy. Ficou bom, mas eu dispensaria a musica Let It Die que abre o CD. Acho que ficou fora da proposta do álbum, mas é a minha opinião. O som é um pouco mais pesado que o trabalho anterior, o álbum Black Rain. E como de costume, sempre tem as “baladas” que dão uma quebrada no ritmo pesado do disco. No mais, nada de novo. O destaque fica por conta das faixas: Let Me Hear You Scream e Diggin’ Me Down.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Festival de Veneza Reverencia o Grande Ator Italiano Vittorio Gassman na sua 67º edição.


Este ano, o festival foi dedicado a memória de um dos grandes atores do pais – Vittorio Gassman (1922-2000), cujos dez anos de morte se completam em 2010. Se existe alguém que deixou saudades foi ele. Seja na pele de personagens de Shakespeare, em shows de televisão que beiravam o circense ou na época de ouro do cinema italiano. Em filmes como: Aquele Que Sabe Viver, Perfume de Mulher (filme esse que deu a Vittorio a Palma de Ouro de interpretação masculina no festival de Cannes em 1975) e, o que eu gosto muito, O Incrível Exercito de Brancaleone. E apesar de suas grandes atuações, Gassman era eventualmente criticado por conta de sua conturbada vida privada, com seus inúmeros divórcios. Nos últimos anos de sua vida, foi acometido de depressão. Morreu de ataque cardíaco em sua casa, em Roma.

Se você caro leitor, não conhece nada desse grande ator, vá atrás de sua filmografia, pois com certeza você irá gostar muito.

Agora com licença, pois a minha pipoca já está pronta e o filme do Brancaleone já vai começar.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Morre artista Wesley Duke Lee, aos 78 anos, em SP


O "realista mágico à sua disposição", é como o artista paulistano Wesley Duke Lee brincava ao se apresentar para as pessoas. Criador provocativo e inquieto, ele morreu na madrugada de ontem, no Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo, aos 78 anos. Diagnosticado, há cerca de 3 anos, com o mal de Alzheimer, sua morte ocorreu por broncoaspiração e parada cardíaca em decorrência de sua doença, como afirma a sobrinha do artista, Patricia Lee. Segundo ela, não será realizado velório, mas cerimônia hoje, às 16 horas, no crematório Horto da Paz, em Itapecerica da Serra. "Colocaremos na ocasião uma frase que ele sempre dizia, ''A verdade não pode ser dita, só revelada''", diz Patricia.

Desenhista, gravador, pintor e professor, Wesley Duke Lee nasceu em 21 de dezembro de 1931. A década de 1960 foi especial para o artista, um dos introdutores da Nova Figuração no Brasil. Na época, ele promoveu ações polêmicas que se tornaram emblemáticas de sua carreira, como a realização do happening O Grande Espetáculo das Artes, em outubro de 1963, no João Sebastião Bar, na Rua Major Sertório, em São Paulo - apresentou para uma multidão desenhos eróticos de sua famosa Série das Ligas vistos com lanternas em meio a um strip-tease -; a criação, em 1966, da Rex Gallery com os artistas Geraldo de Barros, Nelson Leirner, José Resende, Carlos Fajardo e Frederico Nasser; ou ainda de trabalhos/ambientes que são considerados as primeiras experimentações do que hoje conhecemos por instalação, como Trapézio (1966) e Helicóptero (1969).

Neste momento, duas iniciativas felizes homenageiam o artista. Em julho, o marchand Max Perlingeiro, diretor da Pinakotheke Cultural, inaugurou a mostra Wesley Duke Lee na sede da instituição, no Rio, com 65 desenhos, pinturas, "obras ambientais" e objetos realizados pelo criador entre 1952 e 1999 - acompanhando a exposição, foi lançado amplo livro. A mostra, que fica em cartaz no Rio até 2 de outubro, virá para o espaço da Pinakotheke em São Paulo, ficando em cartaz entre 23 de outubro (coincidentemente, a mesma data em que Wesley realizou O Grande Espetáculo das Artes, em 63) e 5 de dezembro.

Curioso ainda é que Perlingeiro emprestou uma das obras da exposição, o tríptico O Nome do Cadeado É: As Circunstâncias e Seus Guardiães, de 1966, para a sala com curadoria de Fernanda Lopes que a 29.ª Bienal de São Paulo vai dedicar ao Grupo Rex. A Rex Gallery movimentou a cena de São Paulo entre junho de 1966 e maio de 1967 com happenings, mostras e evocações de uma maneira alternativa de se fazer mercado. A última retrospectiva do artista ocorreu em 1992, no Masp e no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Guns N' Roses



Há época é 1989. surgiu nas rádios rits como “Welcome to the Jungle”, “Sweet Child o’Mine” e “ You’re Crazy”. Mostrando ao mundo uma das melhores bandas de Hard Rock que já existiu. Isso mesmo, essa é sem duvida uma das melhores. Tudo bem que hoje em dia ela não consegue emplacar mais nenhum rit. Mas nem sempre foi assim, pois ate a parada da banda em 1995, depois do lançamento do álbum “The Spaghetti Incident?. Um álbum só com covers. A banda só produziu musicas de qualidade. O álbum em pauta é o “Appettite for Destruction, que foi produzido pela gravadora Geffen Recors. E que alem de contar com os sucessos já citados, ainda tinha musicas como “My Michelle”, “It’s So Crazy” entre outras. Pra mim esse é sem duvida o melhor album do Guns N’ Roses. E sem sombra de duvidas, um dos melhores álbuns de Hard Rock. Basta ouvir o solo do guitarrista Slash logo no inicio da musica “Sweet Child o’Mine” para ver que a banda não estava de brincadeira. É lógico que tem os que torcem o nariz para as musicas do GNR. Tem ainda os que dizem que o GNR é uma banda para menininhas ouvirem. Bom, opinião cada um tem a sua. Pra mim não passa de argumentos de pessoas que não entendem nada de musica, ou não tem o menor senso critico. Mas como eu disse gosto é gosto, o que importa mesmo e que você caro leitor, se nunca ouviu o GNR, vá atrás das musicas e tire a sua própria conclusão. Agora com licença pois o lado A do meu disco esta terminando e preciso vira-lo, para continuar curtindo toda a qualidade musical do GNR.

sábado, 11 de setembro de 2010

Death Note



“ O humano cujo nome for escrito neste caderno morrera.

Este caderno não surtira efeito a menos que se tenha em mente o rosto daquele cujo nome esta escrito. Portanto, outra pessoa com o mesmo nome não será afetada.

Se a causa da morte for escrita ate 40 segundos depois do nome da pessoa, segundo a unidade de tempo dos humanos, assim será feito.

Se a causa da morte não for especificada, a pessoa simplesmente morrera de uma parada cardíaca.

Após escrever a causa, os detalhes da morte devem ser fornecidos nos próximos 6 minutos e 40 segundos.

Este caderno passara a ser propriedade do mundo dos humanos, a partir do momento em que tocar (aterrissar) em seu solo.

O proprietário do caderno será capaz de enxergar e escutar a voz de seu proprietário original, ou seja, o deus da morte.

O humano que fizer uso deste caderno não poderá ir nem para o céu nem para o inferno.

Nos 40 segundos que se seguem a escrita da “parada cardíaca” como causa da morte, o proprietário deste caderno poderá determinar a hora da morte, podendo manipulá-la livremente, inclusive dentro dos 40 segundos que se seguem a escrita do nome.

Qualquer humano que tocar no death note se tornara capaz de ver e ouvir seu ex-proprietario, o shinigami, mesmo que esse humano não esteja de posse deste caderno.

Enquanto estiver de posse do death note, o humano será possuído ate a morte pelo proprietário original deste caderno, o shinigami.

O shinigami costuma revelar-se para o humano dentro de 39 dias, a contar do momento em que o humano usou o death note.

A principio, o shinigami, proprietário original do death note, não interfere no uso do caderno pelo humano, seja ajudando ou evitando as mortes.

Os shinigamis não tem qualquer obrigação de dar todas as explicações sobre a forma de uso do death note ou as leis que recaem sobre os humanos em posse dele.

O shinigami pode prolongar sua vida apropriando-se da sobrevida do humano cujo nome escrever no death note.

Uma pessoa pode encurtar sua própria vida usando o caderno.

O humano que se tornar proprietário do death note poderá ter o olho do shinigami em troca de metade do tempo de vida que lhe resta, para tornar-se capaz de, ao olhar para o rosto de um humano, ver o seu tempo de sobrevida.

Um shinigami não pode ser morto, nem por uma faca fincada em seu coração ou um tiro em sua cabeça. Entretanto, existem meios para matá-lo que normalmente são desconhecidos ao próprio shinigami.

As circunstancias da morte não serão realizadas se o descritivo no caderno for de pratica fisicamente impossível para aquele humano ou se estiver fora do que é considerada uma atitude razoável para o humano em questão.

A abrangência das circunstancias da morte é desconhecida ate mesmo para o shinigami. Portanto, você terá de testar para descobri.

Todas as características e funções do death note prevalecem numa pagina separada, ou mesmo, num pedacinho rasgado de sua folha.

Qualquer instrumento poderá ser usado para escrever no death note, desde que permita manter as letras visíveis. Podem ser utilizados cosméticos, sangue, entre outros.

Nem mesmo o proprietário original do death note, o shinigami, conhece totalmente a abrangência dos poderes deste caderno.”

Imagine se você achasse um caderno de capa preta. E descobrisse que ele tem a habilidade de matar as pessoas cujo os nomes são escritos neles. O que você faria?

Bem, esse é o tema principal , tanto do anime quanto do manga. Onde o personagem Light Yagami, se utiliza dessa habilidade para livrar o mundo dos bandidos existentes nele.

O anime possui 39 episódios e, cada episodio da uma resumida legal em relação ao manga. Porque apesar do manga ser apenas 13 edições. Ele possui muita informação. Não que isso seja ruim, mas em certos momentos a leitura fica um pouco maçante. Principalmente em partes que não desenvolve a trama da historia. Mas apesar disso, Death Note é pra mim um dos melhores mangas da atualidade. E com certeza ele já faz parte da minha gibiteca.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Pinacoteca Municipal “Charny Leite Bueno Sobrinho”

A pinacoteca conta com um acervo de 76 obras (apenas telas). Datadas da década de 1920 a 1980 aproximadamente. Sendo que não conta apenas com obras de artistas da cidade.
Ela foi alojada na antiga igreja de São Judas Tadeu. Conservando com isso a bela estrutura da antiga igreja. Que a principio seria demolida, mas graças a comoção dos populares que residem ao redor da praça onde a igreja está localizada, a prefeitura interviu e fez uma troca com a paróquia. Ela deu um terreno próximo a igreja em troca da mesma.
A realização de eventos relacionados as artes na pinacoteca ainda esta muito abaixo do esperado. Mais por conta do descaso das pessoas responsáveis da secretaria de cultura (e quando eu falo pessoas, me refiro diretamente ao secretario, que por falta de experiência ou incompetência mesmo, não deixam o pessoal responsável pela pinacoteca realizarem tudo que poderia ser feito no espaço no sentido de estar divulgando a mesma).
Fora esse empecilho, o espaço é muito bom. Um ótimo local para estudantes de arte e amantes da pintura irem, passar o tempo admirando e apreciando os quadros ali presentes e, conhecendo um pouco mais os artistas da nossa região e por que não falar do Brasil. Pois lá está exposta uma tela pintada pelo artista Castellane e, que provoca muito alvoroço, Pois a apelidaram de “o quadro maldito”. Motivo é a técnica utilizada pelo pintor. Bom explicando melhor. O quadro trata-se de uma mulher pintada em tamanho natural, onde independente da posição em que o espectador esteja, a mulher do quadro sempre está olhando para ele. E se você caminhar de um lado para o outro, encarando os olhos da pintura, tem se a impressão de que ela o está acompanhando. Por isso o apelido que foi dado a tela.



E se você caro leitor, ficou interessado em conhecer esse quadro e vários outros é, só passar por lá.
O endereço é o seguinte: Parca Duílio Poli, bairro Nova Jaboticabal em Jaboticabal/SP.
O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira das 08:00 as 12:00 e 13:30 as 17:00

domingo, 5 de setembro de 2010

Eles estão chegando... Sedentos por sangue humano!


Após a queda de um satélite com radiação extraterrestre, uma pequena cidade da Pensilvânia se vê envolvida em um estranho fenômeno: um a um, os cadáveres começam a sair de suas tumbas e passam a perseguir a população em busca de carne e sangue humano.

Para escapar desses monstros famintos e aparentemente indestrutíveis, um grupo de sete pessoas se refugia em uma fazenda abandonada. Aos poucos, a horda de mortos vivos consegue cercá-los e, a tensão fica cada vez maior... Eles estão prestes a viver uma noite de puro terror.

Esse é o enredo principal do filme A Noite dos Mortos Vivos. Que foi escrito por George Romero e John A. Russo e, que contou com a direção do próprio Romero. Sendo um dos diretores que lançou a utilização de zumbis nos filmes de terror.

Ele veio a ter uma refilmagem em 1990. Remake esse dirigido por Tom Savini (Sexta-Feira 13th). Muito conhecido por ser um gênio dos efeitos especiais. Mas apesar de se tratar de uma refilmagem, Savini usou de liberdade poética e alterou o final em relação ao original de Romero.

Os dois filmes são muito bons. Porque pra quem gosta de terror e, principalmente quando o assunto é zumbis, A Noite dos Mortos Vivos é um prato cheio.

Então caro leitor, vá atrás das duas copias e divirta-se com elas. Pois nunca se sabe quando você é que poder se tornar o protagonista de uma historia dessas, ao invés de ser apenas o espectador.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Conversando Depois da Meia-Noite!





Esse é mais um álbum do grande roteirista Neil Gaiman. Dias da Meia-Noite, conta com quatro dos personagens mais emblemáticos e, mais aclamados dos quadrinhos. O álbum conta com três historias curtas que Gaiman e o também roteirista Matt Wagner escreveram em ocasiões distintas. A primeira conta com o Monstro do Pântano, e que foi escrita originalmente em 1986 se, utilizando como base uma antiga tradição ou lenda Celta. A do Jack in the Green. O segundo personagem é o Constantine com a historia “Me Abraça” e, a terceira é um encontro entre os dois Sandmans. O senhor do sonhar e o herói das revistas pulps Wesley Doods. Que usava a sua famosa mascara de gás, seu sobretudo e o seu chapéu característico. O álbum é muito bom. As historias, apesar de serem curtas, são muito bem contadas. Neil Gaiman tira de letra os roteiros das três historias. Fazendo com maestria e conseguindo contar em poucas paginas o que muitos teriam que fazer em varias. O ponto positivo fica pelas introduções antes de cada historia, onde Gaiman relata o processo criativo de cada uma. E é lógico, contando com o seu parceiro Dave McKean nos desenhos e capas. E alem ainda de contar a participação nos desenhos de Teddy Kristiansen e Steve Bissette. Pra quem conhece os trabalhos de Neil Gaiman, acho que já foi dito demais. E pra quem não conhece, fica ai a dica. Corra atrás dos seus álbuns, pois garanto que vocês não irão se arrepender.